• Home page
  • >
  • Blog
  • >
  • Refinanciamento de imóvel: quando vale a pena fazer

Refinanciamento de imóvel: quando vale a pena fazer

Publicado:

O refinanciamento de imóvel, também conhecido como empréstimo com garantia de imóvel, é uma opção para quem precisa de dinheiro e tem uma casa ou apartamento em seu nome. Os juros costumam ser menores nesta modalidade de crédito, justamente porque você deixa uma garantia para a instituição financeira caso não pague a dívida.

Este tipo de empréstimo costuma render valores mais altos do que o crédito pessoal, e por isso é ideal para quem precisa de uma quantia grande. Porém tudo depende da avaliação do seu imóvel, ou seja, quanto mais bem localizado e bem cuidado, maior será a porcentagem que você poderá receber.

Quanto posso receber no refinanciamento imobiliário?

Algumas instituições financeiras podem disponibilizar até 50% do valor do imóvel, enquanto outras dão até 80%. Tudo depende da avaliação da casa ou apartamento, além da análise de crédito feita para saber se você tem pendências financeiras no seu CPF.

Quando fazer um empréstimo com garantia de imóvel

O empréstimo com garantia de imóvel pode ser uma boa alternativa para diversas ocasiões, afinal, é uma modalidade em que se pode conseguir grandes quantias em dinheiro, com prazos longos para pagamento. Veja alguns exemplos de quando fazer um empréstimo com garantia de imóvel:

1. Refinanciamento de imóvel para ampliar sua empresa

Quem é empresário e precisa de mais funcionários, um novo local para seu negócio, ou novos equipamentos, pode optar pelo empréstimo com garantia de imóvel. Com as melhorias na empresa, você produzirá mais, e conseguindo mais receita, poderá quitar a dívida rapidamente, não tendo prejuízo.

 2. Crédito com garantia para quitar uma dívida maior

Se você tem muitas dívidas fora de controle, o refinanciamento de imóvel pode te ajudar a pagá-las de uma vez, trocando uma dívida mais cara por uma mais barata, já que esta modalidade tem taxas de juros menores. A quantia que é liberada pode ser bem alta com base na avaliação da casa que ficará como garantia, e o prazo para pagamento também é longo, algumas vezes passando dos 20 anos para quitação.

3. Empréstimo com garantia de imóvel para reformar sua casa

Reformas podem ser bem caras, e para arcar com os custos, o empréstimo com garantia de imóvel pode cobrir as despesas. As modificações podem valorizar sua casa atual, melhorando o preço de mercado caso você queira vender ou realizar outro refinanciamento no futuro.

Lembre-se!

Um empréstimo é um comprometimento de muito tempo. Por isso é sempre importante ter noção do quanto você pagará no fim das contas. Isso se chama Custo Efetivo Total (CET). Mesmo no refinanciamento de imóvel, as taxas de juros precisam ser comparadas antes de você decidir fechar negócio.

Como conseguir um refinanciamento de imóvel?

Para realizar o empréstimo com garantia de imóvel é necessário ter uma casa ou apartamento quitado e em seu nome. A instituição financeira também fará uma análise de crédito, verificando se você possui pendências, como negativação. Os documentos para solicitar este tipo de crédito são:

  • RG;
  • CPF;
  • Comprovante de renda;
  • Comprovante de residência (conta de água, luz, gás ou telefone);
  • Certidão de Matrícula do Imóvel;
  • Cópia da capa do Imposto Sobre Território Urbano (IPTU);
  • Certidão Negativa de Tributos Imobiliários.

Alguns fatores podem pesar na hora da instituição financeira avaliar seu imóvel, como a localização. Casas em zonas de risco – alagamento, desmoronamento, ou bairros muito perigosos – têm grandes chances da solicitação de refinanciamento ser recusada. Imóveis que estão em más condições e precisam de muitas reformas também podem ser negados para este tipo de empréstimo.

Posso perder minha casa se não pagar as parcelas do empréstimo com garantia de imóvel?

Para o banco, não é vantajoso tomar sua casa, eles preferem que você pague a dívida. Então, se você deixar de pagar alguma parcela, pode entrar em contato com a instituição financeira para fazer acordos e negociações de modo que fique bom para os dois lados, aumentando o prazo para pagamento ou diminuindo os juros. O imóvel só é tomado em último caso.

Veja também!